sexta-feira, 12 de junho de 2009

Dia dos namorados

Este é o dia utilizado comumente para aquecer o mercado do mês de junho antes do São João. Só posso dizer o que sempre digo: te amo Amanda!!!

segunda-feira, 18 de maio de 2009

O dilema

Certa vez me preocupei sobre como ser militante e ser acadêmico ao mesmo tempo. A priori, são duas coisas possíveis de fazer junto, até porque isso acontece muito na prática. 
O dilema, no entanto, é o seguinte: enquanto acadêmico temos mais "liberdade" de criticar, no sentido de questionar a ordem posta, de pensar no processo de transformação radical, de dizer que está tudo errado (inclusive nós mesmos, já que estamos "legitimando" vários dos espaços que criticamos e dizemos que são conservadores - sobretudo a própria Universidade); no que tange à questão da militância, o dilema é relativamente inverso, pois precisamos de "dialogar" com instâncias e instituições que de certa forma impedem uma discussão mais radicalizada, precisamos ter "tato" para conseguir conversar... a opção ideológica identifica quem são aliados e quem não são, mas a necessidade impõe conversas e articulações não tão agradáveis (perceba que para o Direito isso é ainda mais presente, haja vista a atuação no sistema judicial e nas instâncias administrativas).
Refletindo mais um pouco, e depois de uma certa inversão metodológica, essa visão se dissipa, ao menos em parte. Por um lado, porque se a análise fosse assim tão simétrica e tão dicotômica, estaríamos negando a contradição intrínseca aos dois espaços. Estaríamos, de certa forma, sendo anti-dialéticos.
A realidade nos mostra que a Universidade, mesmo que busquemos algo diferente, não é espaço de "liberdade" nem de "crítica" - cada vez mais estamos submetidos a um conjunto de teorias e metodologias conservadoras, que não privilegiam a crítica estrutural. De outro lado, a atuação militante, sendo consciente de suas opções e de seus objetivos estratégicos, pode ser um espaço extremamente importante para os sujeitos e movimentos sociais - protagonistas desse processo.
Lidar com a contradição sem perder o rumo talvez seja um dos grandes desafios de quem está nesses dois espaços. Até porque outros dilemas aparecem como, p. ex., a crítica feita ao academicismo sem prática e a crítica ao ativismo (ou judicialismo) sem reflexão teórica. 
Que a dialética nos ajude.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

festa de paratibe

apesar de muitos problemas de articulação e mobilização do NEP, acho que a Festa em Paratibe ontem foi acima da média. Conseguimos fazer a apresentação do Teatro (A historinha de Seu Lixo e D. Tralha) e as apresentações da Capoeira, Break e Percussão rolaram massa! 
A chuva quase que atrapalha.
Quem está mais à frente das coisas não é bem o NEP, já que Carla, Alexandre e Cesinha - que efetivamente construíram essa história junto com Pitoco e o povo da Comunidade - são os verdadeiros responsáveis. Acho que fomos bem naquela pequena participação na peça e na ajuda da decoração, etc. Que seja possível, agora, mais participação efetiva no cotidiano da comunidade. Só assim um projeto de extensão popular vira popular. 

quinta-feira, 7 de maio de 2009

vou tentar voltar mesmo

estava pensando cá comigo, a exemplo de outros blogs que costumo entrar, que não é fácil mesmo escrever atualizadamente em blog. mas não deixa de ser interessante escrever.
desde a última postagem eu me tornei bacharel em ciências jurídicas pela UFPB (ou seja, me formei finalmente... grande coisa...) e consegui passar no mestrado daqui, área de concentração em Direitos Humanos. as aulas já começaram. nada de mais.
Meu horário semanal agora vai sendo preenchido e preciso de mais organização para os estudos e outras coisas, no entanto, acho que as coisas vão andar.
No NEP as coisas estão meio paradas, apesar de termos feito planejamento. Na Digna as coisas estão meio planejadas, esperamos que não paradas. :)
Tou estudando Metodologia das Ciências Sociais. Em casa. Porque nas aulas temos uma visão reducionista desse negócio de Teoria do Conhecimento, Ideologia, Ciência, etc. É mais ABNT mesmo.
Já nas aulas de Dialética com Zé Neto, a história é outra. Cada vez me encanto mais e tento comprender melhor essa coisa de Dialética - apesar de ser bem difícil de colocar nas nossas cabeças fÔrmadas de maneira positivista. Vamos tentando.
Estou dando aulas também (estágio docência). Direito Constitucional. A priori, sem comentários.

 

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

novo ano

definitivamente não dá para priorizar o blog quando temos monografia, estudo de mestrado, eventos na universidade e ainda um pouquinho de vida pessoal e amorosa. nesse sentido, parece que as coisas mais triviais que geralmente podem ser postadas - ao lado das mais interessantes, como resultado de alguma reflexão crítica - ficam reféns da própria "vida louca vida" que temos.

algumas questões me parecem interessantes para postar. primeiro: a dificuldade de conseguir me concentrar para finalizar a monografia. nesse sentido, parece que há, além do detalhismo científico da ABNT, uma certa inquietação entre o pensar e o escrever, entre o escrever e o produzir, entre o produzir e a satisfação - mesmo parcial - com o que foi escrito e produzido.
minha monografia se pretende crítica e se pretende não dogmática - seu tema é Educação Jurídica no Brasil e a análise da Turma Especial de Direito para assentados da reforma agrária e agricultura familiar em Goiás, na UFG - mas não sei bem se consigo chegar a este objetivo. me falta estudo e concentração. acho até que algumas coisas interessantes pude escrever nos primeiros capítulos, mas a síntese desse processo me parece um tanto quanto complicada... vamos ver no que dá.

de outro lado tenho tentado estudar para o mestrado de direitos humanos, com uma bibliografia imensa (são 15 livros). acho desnecessário uma bibliografia tão extensa, por dois motivos óbvios: não é possível garantir um estudo mais aprofundado das obras até a data da prova e as questões acabam por ser mais superficiais do que poderiam ser. Até que a idéia de ter questões mais amplas e genéricas não é tão mal assim, pois privilegia quem já tem algum domínio do assunto. como o tema dos direitos humanos é muito amplo e necessita de uma delimitação, o que resta é tentar contemplar os sub-temas com estudos e ver no que dá.

em tempos atrás tinha a possibilidade de fazer algo mais amoroso e detalhado para falar de uma data tão especial quanto este dia 09. hoje - se isto lhe assusta, sem manifestações, por favor, já estamos lidando bem com isso - completo 3 anos e 11 meses de namoro com Amanda.
o que posso dizer? nosso encontro no mundo parece confirmar a idéia de que as pessoas tem a vocação de "ser mais" (Paulo Freire), hoje, sem dúvida, sou mais porque sou você. te amo.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Negação

cansei.
cansei de sentir peso na consciência por não ter colocado as notícas sobre a minha viagem na itália, sobre a minha volta para casa e sobre esses quase dois meses por aqui. decidi que agora quando quiser escrever algo no blog o farei. independentemente de ficar faltando algo na história. talvez os blogs sejam um pouco isso: memórias na amnésia que é a nossa vida.
estou com muita vontade de falar escrever sobre as minhas inquietações monográficas, mas quero terminar o primeiro capítulo primeiro.
para os que não sabem, meu trabalho é sobre Educação Jurídica e a turma especial de direito da terra de goiás. um tentativa de aproximação entre o repensar do saber jurídico e os movimentos sociais de luta pela terra. mas ainda há muito nessa história.
a nova fase do blog está inaugurada.
varias formas de viajar.

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

De volta

olá caro blog, peço desculpas pela ausência. estou de volta à terrrinhaa! desde a ida para a itália, a quase um mês, não dava notícias. isso significa várias coisas, mas a principal delas é que não estou "com tempo" para isso. preciso de casa, preciso de amanda, preciso de voltar às atividades, isso que me compõe como sujeito, e é mais importante... farei o seguinte: na próxima vez tentarei colocar umas fotos da italia (linda, muito linda, bravissima!). quem sabe depois vamos dar uma reorientada no blog, haja vista a inadequação (usando uma tipologia administrativista) entre os objetivos e os fins do próprio blog, que não quero que se torne uma questão mais profunda. apenas estou de volta, mas continuam existindo várias formas de viajar, inclusive à frente do PC.

até!